O galeão Netuno ancorado no porto de Gênova, transportou-me para os meus sonhos mais remotos, sonhos de infância, onde eu era um pirata e saia navegando pelos sete mares, procurando tesouros em ilhas paradisíacas perdidas pelo mundo afora.

E qual criança não sonha ser um pirata? mas eu não era uma sonhadora qualquer, eu sonhava com papel e lápis na mão, pegava no meu pequeno globo terrestre (obrigatório nas aulas de geografia) e definia em qual ponto da terra começaria minhas fantásticas viagens. Traçava em uma folha de papel branco todo o meu itinerário saindo do Brasil e passando por várias terras, dentro do meu navio pirata, que tinha uma bandeira desenhado a letra M (de Marina), mas eram mapas cheio de desenhos, muito pormenorizado, com todas as dificuldades que eu poderia encontrar pelo caminho (mar bravio, montanhas inacessíveis, tubarões) e depois o final feliz: a descoberta do meu tão sonhado tesouro! E lembro-me que encantei-me por Gênova, pois na altura passava na televisão um desenho animado chamado “Marco”, onde o protagonista morava em Itália e foi este lugar a minha primeira escolha para começar procurar o meu tão desejado tesouro…

Voltando ao galeão Netuno, desembarquei no Porto de Gênova, durante um cruzeiro pelo mediterrâneo, e pus-me a andar a passos largos para alcançar o centro da cidade, que disseram ser perto do lugar onde eu me encontrava. E lá fui eu andando rapidamente e quando olhei para cima…Wow!!! avistei um mastro, um navio pirata!? e era mesmo! fiquei tão contente e torcendo para que fosse possível explorá-lo. Quando cheguei mais perto, forcei minha memória tentando lembrar-me de onde já tinha visto aquele navio pirata, mas…nada! apenas um branco total.
Para minha felicidade, constatei que o Galeão estava aberto para visitação e aquela hora pela manhã quase não tinha turista, que maravilha, o navio seria todo meu!
Quando li um cartaz que estava na entrada e que contava a história do barco, lembrei-me imediatamente do filme “Piratas” de Roman Polanski (adoro filmes sobre piratas e não perco um), pois o detalhe da proa com a escultura de Netuno é muito marcante e no filme senti até medo da carranca do rei dos mares e seu portentoso tridente! mas agora reparando sem os efeitos especiais, pareceu-me algo cômico.
O exterior do barco é lindíssimo, dizem ser uma réplica de um galeão do século XVIII, feita propositalmente para as gravações de “Piratas”. Vi muitas janelinhas abertas mostrando potentes canhões, Claro! todo pirata que se preze, certamente enfrentará muitas oposições pelo caminho…mais isso só contribuirá para fortalecer a sua bravura e sagacidade!
O interior do navio? um encanto! exatamente como eu imaginava! com seus imponentes mastros, no principal e ponto mais alto a cabine do vigia, na popa o camarote do capitão, que para minha tristeza estava fechado. Corri que nem abelha tonta de um lado a outro tentando com a ajuda da câmera fotográfica, gravar todos os detalhes pelos quais me apaixonei e que agora compartilho com vocês.
Não consegui chegar até o lugar onde dizem ficar escondido os tesouros conquistados, pelo menos nos filmes fica na popa, na parte mais funda do barco, mas somente pelo facto de ter conhecido o galeão Netuno, ganhei mais um tesouro: realizei um sonho maluco de infância…talvez insignificante para muitos, mas para mim, muito precioso!

E você? já procurou algum tesouro? encontrou?

marina_mourao_galeao_netuno_roman_polanski

sobre_galeao_netuno_genova

marina_mourao_galeao_netuno_genova

detalhe_galeao_netuno_porto_genova

detalhe_navio_pirata_genova

navio_pirata_galeao_netuno_genova

galeao_netuno_porto_genova_italia

marina_mourao_galeao_netuno